GV + MV = Potro Veloz
29/07/2011
« Voltar

 

Gostei dessa definicao, simples e obvia.

Lendo uma materia, no mundo dos cavalos ingleses se diz:

Garanhao Veloz + Matriz Veloz = Potro Veloz

E uma regrinha boa para se ter em mente se voce esta querendo produzir cavalos para as provas contra o tempo.

E nesse momento de acasalamento, nada melhor que regras simples para conduzir o seu processo!

Vou escrever mais sobre isso em breve!

 




Comentários
» Enviar seu comentário


10/08/2011
Leandro Marques

Thomas, a respeito do que eu pude compreender do seu posicionamento, eu quero dar uma sugestão de tópico nesse blog que é o seguinte: A CRESCENTE VALORIZAÇÃO DO MERCADO DO CAVALO DE "2D".
Explico:
Parece que todos os criadores estão importando dos EUA um pensamento de cruzamento corrida + corrida ou corrida + PSI, em busca dos melhores tempos. Para os potros que dão certo ótimo. Para os criadores milhonários, que podem mandar treinar 10 potros por ano para 1 ou 2 correrem 17s, ótimo. MAS, e os cruzamentos corrida x corrida que não dão certo? qual o percentual? Esses potros / cavalos / éguas vão correr constantemente na casa dos 18 alto?
Mais provável se tivesse uma linhagem de trabalho no meio, e mais certo ainda se o cruzamento fosse trabalho x trabalho.
Disso todo mundo concorda certo?
Então...
não acho que os produtos trabalho x trabalho vão desvalorizar não...pelo contrário.
Existe hoje um mercado imenso de "consumidores" que NÃO podem pagar 100, 150, 200 mil reais por um animal de ponta. Da mesma forma, existe um monte de criador pequeno que não tem grana pra custear um número alto de potros descartes total no cruzamento corrida x corrida. Sim, isso mesmo, um potro linhagem corrida x corrida que não deu pra lata vai fazer o que? Vai vender por quanto? Vai vender pra quem?
Já o cavalo de trabalho coloca no laço, além disso a chance de dar errado é comprovadamente menor .
Mas, voltando a discussão...
O que eu quero dizer e que os cavalos de 2D, INDEPENDENTE DO CRUZAMENTO estão cada vez mais valorizados e vão valorizar cada vez mais.
Afinal, quem pode pagar 100mil ou mais num animal correndo 17 baixo?
Resposta: OS MILHONÁRIOS.

Então, quem não é milhonário o que acontece?
Resposta: compra um animal pronto de 2D correndo 18s OU compra um potro com 50% ou mais de sangue de trabalho para não correr o risco de um descarte total caso o mesmo não responda bem ao treinamento do tambor OU é teimoso e compra um potro de corrida e quebra a cara e desiste do cavalo OU é teimoso e compra um potro de corrida e dá sorte.
Pra mim são esses os pontos que seria interessante discutir no seu blog, um abraço e parabéns pelas iniciativas sempre muito bem pensadas, show de bola o "feirão" do dia 10 de setembro e muito legal esse blog, é a 1 vez que escrevo, um abraço
03/08/2011
Thomas Souza

Com certeza cada um tem a sua opiniao e seus argumentos - sempre validos e bons.

Como essa questao esta mais no campo da arte que no campo das exatas, e natural que o debate exista.

Eu vejo que a tendencia nas importacoes, nos acasalamentos, nos precos dos animais etc estao muito ligados a linhagem de corrida para o tambor, entao o mercado esta dizendo que o futuro e esse. Se estao certos ou nao, o futuro dira, mas eu concordo com esta direcao.

Hoje infelizmente temos um numero reduzido de animais de corrida nas pistas por motivos obvios - quem esta correndo hoje e quem foi feito 4-5 anos atras quando estavamos no inicio dessa discussao. Vejam os acasalamentos para daqui a 5 anos e verao que esta totalmente diferente. Acredito que talvez em 2012 e com certeza 2013 o cenario sera outro.

Finalmente me guio pelo que acontece no maior mercado do mundo de tambor - os EUA. Podemos relutar contra o que e feito la - naturalmente - mas o fato e que por la 90% dos animais sao da linhagem de corrida ou corrida com trabalho - e por aqui e exatamente o oposto. Mas isso esta mudando e rapido.

Repito - a certeza nao existe, e so uma opiniao de quem acompanha os mercados.

Sobre a baliza, eu nao tenho uma opiniao porque nao acompanho a modalidade e nao sei o que esta dando certo ou errado.

03/08/2011
josé Ricardo Neder

Bom dia Thomas,
Concordo plenamente com o comentário abaixo do Anonimo e vou dizer porque: Estive trabalhando na pista de velociddade no Nacional,
e vendo os animais que se destacaram que Você mostra no seu Blog vemos a grande maioria de animais Trabalho com Velocidade vejamos:
Cash Quixote HGA ; Quixote Sonia Lena (Doc Olena) x Brilho do Sol (Go The Cash)
Dafne Litlle Bw; Lider da Sm x Flashi Litlle Nd....(Trabalho) 2° e 3° melhor tempo
Plan Cash Dash: Planet Dash x Cash Black - Fechada em corrida
Bilinha Red : Castanho Red x Dash Decree Jay .. Trabalho com corrida
Zirconita 2f : El Shady Zorrero x Bianca Eb 33.. Trabalho
Então vemos nos 6 melhores tempos apenas um animal fechado em corrida, sem falarmos em baliza onde o animal tem que ter mais
habilidade do velocidade. Isso ainda vai dar muito o que falar.

Abçs. Neder

03/08/2011
anonimo

Thomas, infelizmente, toda regra tem exceção. E essa regra não tem poucas. Um bom exemplo é o grande Doc Bar, filho de cavalos de bons cavalos de corrida, mas um fracasso nas pistas de velocidade. Temos vários descartes de corrida filhos de grandes campeões. Voce aposta muito no cavalo de corrida, eu aposto na mistura do cavalo de corrida com trabalho. Na prova de tambor, velocidade apenas não basta. Além dela, é necessário habilidade e agilidade, qualidades presentes no animal de trabalho. Seus animais são exceções nos cavalos de linhagem de corrida. São velozes na medida certa, ágeis e habilidosos e também não são grandes, isso é o que faz deles campeões. A maioria dos cavalos de corrida não fazem metade do que os seus fazem. Tenho uma égua de corrida também, neta de Easy Jet e Diamond Jiggs. Ela corre muito, mas não vira bem e perde muito tempo em viradas. Eu vejo isso na maioria dos animais fechados em corrida. Por esse motivo acho que essa regra não é válida, principalmente em nosso esporte.
O Blog (painel de notícias) da Fazenda Nossa Senhora de Lourdes é um espaço criado para a divulgação de informações e troca de idéias, permitindo, inclusive, a participação de terceiros por meio de comentários. A opinião expressa nos comentários reflete a opinião do autor e, não necessariamente, representa a opinião da FNSL. A Fazenda Nossa Senhora de Lourdes não se responsabiliza pelo teor destes comentários. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do visitante que enviá-lo, sendo o número IP, data e horário da postagem armazenados em nosso sistema.
Fazenda N. Sra. de Lourdes - Jaguariuna:(19) 3867-1226. (11) 3071-3866 | Fazenda Estrela do Sul - Uberaba:(11) 3071-3866 . (34) 9960-6172
Desenvolvido por Mercado de Cavalos