Veja os Melhores Tempos do Nacional!
30/08/2010
« Voltar

Finalmente consigo compilar os Top 10 do Nacional ABQM...demorou mas os resultados sairam.

Deve ter sido a primeira e ultima vez que um Nacional ABQM correu na melhor Arena do Brasil. E por isso os campeoes devem sentir um gostinho especial adicional a alegria de ser campeao brasileiro da maior modalidade do quarto de milha em nossa terra.

Consegui aqui compilar os 8 melhores tempos da FINAL desse Nacional ABQM 2010. Foi uma prova de alto nivel onde o detalhe fez a diferença! Quando a ABQM divulgar os tempos eu completo a lista.

1) Victory Fly e Marcos Monzinho - 17s274
2) Silver Creek Dash e Thiago Botelho - 17s286
3) Miss Squaw e Thaissa Ribeiro - 17s308
4) Lucky Wrangler e Claudio Silva - 17s327
5) ST Tapioca e Vagner Simionato - 17s333
6) Ashley Walker e Abelardo Junior - 17s457
7) ST Tapioca e Ana Paula Zillo - 17s473
8) Miss Squaw e Thaissa Ribeiro - 17s553
9) Tundra AGAE e Isabale Rosolen - 17s556
10) River Foenix Leo e Laiz Leite - 17s617

Vela dizer que dos Top 5, 4 foram durante a Aberta Senior, provando que essa foi sem duvida a categoria mais competitiva das finais do Nacional!



Ate a proxima!




Comentários
» Enviar seu comentário


27/08/2010
Geraldo Gomes

cada uma nesse blog hein...deus me livre...

logo se ve porque o infeliz tem Pedra no nome, ele deve ser da idade da PEDRA! rsrsrs

pensamentos assim que fazem de voce o perdedor nessa discussao toda...kkkkkkk

27/08/2010
Antonio Pedra





Cavalo bom ganha em qualquer pista seja leve ou pesada. Esta coisa de definir de só correr em determinada pista é fato de perdedor. Por inaptidão do cavaleiro seja de qualquer natureza ele erra, culpa a pista e isenta o cavalo ou as vezes condena o cavalo. Já é hora de parar com este tipo de dicussão. além do mais é coisa de maricas...
26/08/2010
Valdir Figueiredo Ferraz

Reparo geral com grade??? É dispencioso e infrutifero, pois não leva a nada. Os animais não utilizam nem 1/3 da pista. Então porque usar grade onde os animais não pisam!



SDS
26/08/2010
carol

tédio?nossa hein....vcs estão mais preocupados com o tédio do públido doque com a segurança da tropa?

aiai viuuuuu

as estrelas são os cavalos gente.....se for pra segurança deles o reparo pode demorar oq for até atingirmos o reparo ideal onde irá ser melhor e mais eficiente

bjs
26/08/2010
Thomas Souza

Oi Roberto



Concordo com voce - o negocio e acertar o que esta errado e melhorar o que esta certo. Nao adianta reclamar sobre o leite derramado. A minha fonte e mesma que a sua por sinal. Portanto o problema e de interpretacao dos fatos acredito eu.



So um ponto - a FNSL de fato organiza e fomenta as provas de tambor desde 2000, portanto a 10 anos estamos envolvidos em ajudar o tambor a crescer. Mas voce interpreta o texto de forma equivocada. Como voce deve saber, antes a pista nao era coberta. Ela so foi coberta em 2006 e seguiu de exemplo para outras pessoas cobrirem tambem, como o meu amigo Dirlei do Rafaela. Que por sinal elevou o conceito de pista coberta para fazer a melhor arena do Brasil. Portanto a pista atual da FNSL vai fazer 4 anos em novembro 2010.



Acho que o ponto e que precisamos re-pensar no manejo da pista. O equipamento utilizado atualmente esta ultrapassado e o racional do reparo esta ultrapassado. Esse rastelo hidraulico que voce menciona em nada ajuda no reparo. Por sinal nos copiamos o nosso de um de Bauru que acredito eu todos copiaram por falta de um modelo melhor. Precisamos evoluir para que a pista fique a altura do resto da infraestrutura que tanto o Haras Rafaela como a FNSL tem feito um esforço enorme para melhorar as condicoes do nosso querido esporte equestre.



Enfim, o reparo de 50 em 50 pode e deve ser feito da maneira mas rapida e eficiente possivel para assegurar a qualidade da pista para todos os competidores durante toda a prova. Dizer que esse reparo causa tedio e a mesma desculpa usada no passado para nao fazer o reparo de 5 em 5 proque este tambem iria causar o tal tedio e atraso da prova. Nao e por ai.



Mas vamos em frente.



Abracos do amigo



Thomas

25/08/2010
Roberto Ulhoa Canto

Thomas,



Você foi mal informado, pois assim que surgiu a idéia do reparo geral com grade de 50 em 50, fui procurado por telefone, pelo Marcelo Xavier e Abelardo, onde ficou combinado que o Abelardo conduziria os reparos juntamente com o Cláudio.

A noite nos reunimos, Abelardo, Cláudio Granja, Ronildo, Marcelo Xavier e eu. Em função de muitas reclamações quanto ao tempo gasto no reparo com grade geral, tornando a prova entediante, decidimos então que os reparos seguiriam de 50 em 50, somente nos tambores e assim foi até o final da prova. Novamente afirmo que não existiu nenhuma briga.

Em relação à Copa São Paulo, não foi efetuado reparo geral de grade a cada 50 passadas, como você citou e sim uma vez ao dia, só durante a final, no domingo, em função da ausência da ambulância, sendo que a prova ficou parada 1h e meia, aproveitamos para fazer um reparo geral de grade, antes da categoria feminina.

Quanto ao tempo de existência da pista da FNSL, 4 anos, talvez haja um equívoco em seu próprio site, no botão Histórico e botão Provas, entende-se que as provas começaram no ano de 2000.

O modelo de reparo de 5 em 5 utilizando 2 tratores, foram iniciados por nós da APTB. Inclusive nesta época eu tinha que levar o meu rastelo hidráulico com uma prancha regulável para as primeiras provas no CT Ronildo Morais e na FNSL, onde então o Sr. Sérgio desenvolveu os dois rastelos atuais da FNSL.

Enfim acho que mais comentários não vão acrescentar em nada, portanto encerro aqui minha participação.

O que vale mesmo é buscarmos cada vez mais melhorias em todos os sentidos para que nossas provas apresentem sempre as melhores condições técnicas para nossos cavalos e competidores, assim como a qualidade e bem estar a todos os envolvidos, público, treinadores, tratores, etc....

Abraço,

Roberto Ulhoa Canto
25/08/2010
thomas souza

Oi Roberto



Em primeiro lugar, a ABTB nao estava nao com o mandato de dirigir a prova na questao da pista. Todo mundo me disse que isso era sua responsabilidade e por isso a briga para fazer um reparo geral que voce nao aceitava e nao concordava mas foi voto vencido.



Em segundo lugar, essa decisao nao se mostrou errada como voce colocou. Na Copa essa decisao ja tinha se mostrado acertada, graças ao bom senso da ABTB. E diferente do que voce afirmou, nao houve reparo geral durante as finais do Nacional. A prova correu direto. Pelo menos eu que fiquei sentado na arquibancada nao vi isso. O problema do reparo geral antes da Junior comecar foi que de novo faltou conhecimento de como fazer o manejo da pista e bom senso. Isso estava evidente ja que torroes enormes de areia estavam por toda a pista. Solucao simples e passar o rastelo mais vezes para nivelar a pista de fato. Mas tudo bem, isso faz parte.



Em quarto lugar, so para corrigir mais um equivoco seu, a pista da FNSL tem 4 anos. A Pista do Haras Jaguary sim tem quase 10 anos e ambas (FNSL e AR) sao copias da pista do Haras Jaguary no que diz respeito ao solo. Logicamente, a pista do Haras Jaguary esta mais depreciada.



Em quinto lugar, acho que deveriamos buscar desenvolver um equipamento juntos porque os que usamos hoje nao sao os certos (grade e rastelo simples). Com isso vamos dar mais um passo importante para melhorar as condicoes de pista e tornar o esporte cada vez mais seguro e competitivo.



Em sexto lugar, nao e verdade que foi voce que introduziu o reparo de 5 em 5. Foi a FNSL que por sinal simplesmente copiou este conceito dos EUA apos estudar como era feito o reparo por la e porque era feito assim. O uso de dois (ou ate tres) tratores tambem foi um conceito introduzido pela FNSL. Mas isso nao e relevante. O que e relevante e que precisamos reduzir ainda mais o numero de reparos em provas que tenham uma final como o Nacional ou a Copa dos Campeoes.



Acho que o importante disso tudo e o debate e a troca de informacoes para que possamos ficar cada vez melhores e isso vai se traduzir em um numero maior de participantes e uma prova mais bonita e emocionante.



Tanta a FNSL quanto a AR estao ainda engatinhando em relacao ao manejo da pista correto. Mas isso e muito bom porque so quer dizer que so podemos ou iremos ficar melhores e essas sao as duas melhores pistas para a pratica da modalidade que temos hoje.



Por sinal, recomendo a leitura na Barrel Horse Magazine edicao de Junho de 2010 que tras um artigo sobre o reparo e manejo de pistas com uma entrevista com o Chuck Dann que so faz isso a quase 30 anos nos EUA. E leitura obrigatoria para quem organiza e dirige eventos da modalidade em qualquer lugar.



Abs



Thomas
24/08/2010
Roberto Ulhoa Canto

Thomas,

Em primeiro lugar vamos deixar bem claro que a prova deste final de semana durante o 33º Campeonato Nacional da ABQM não estava sobre responsabilidade do Haras Raphaela, toda a decisão e orientação sobre o manejo de pista esteve aos cuidados da ABTB, vale ressaltar, sempre bem intencionados e prestativos no sentido de colaborar com a qualidade do evento.

Quanto às dificuldades de se encontrar o ponto ideal de uma pista durante uma prova inteira, eu concordo com você, automaticamente isto passa pelo manejo e equipamentos. A pista do Haras Raphaela só tem 1 ano e meio de existência e não medimos esforços para melhorá-la sempre, podem ter a certeza de que chegaremos ao ponto ideal em breve, este é nosso maior objetivo.

Agora relembrando outras pistas, como você mesmo citou, não podemos esquecer que uma pista começa pelo tipo de solo, e todos são diferentes entre si, assim como os tipos de areia utilizadas em cada uma delas, as da FNSL com mais de 7 anos de existência, Ronildo Morais, pista de Avaré, pista de Bauru, aliás uma ótima pista inclusive com chuva, e a do Haras Raphaela, portanto nem tudo o que se aplica a uma pista, servirá para outra. De nossa parte tenha a certeza de que os detalhes são e sempre serão muito importantes. É bom lembrar que o reparo de 5 em 5 passadas e os dois tratores em pista começou na APTB, fui muito criticado quando implantei este processo, pois até mesmo os juízes e alguns treinadores achavam desnecessário na época, os mesmos alegavam que prejudicaria o andamento da prova, e que tecnicamente pouco acrescentaria. O tempo provou que eu estava certo.

Quanto ao reparo geral de 50 em 50 passadas durante o Nacional da ABQM, nenhum de nós tínhamos experiência quanto ao resultado, porém colocamos para a ABTB nossas preocupações de forma cordial, educada e respeitosa e não assisti briga de proporções épicas a que você se referiu e a decisão tomada pela ABTB foi em manter o reparo de 50 em 50, e a prova seguiu sendo orientada pela ABTB.

A experiência não teve sucesso como você falou, e muitos me procuraram para reclamar e questionar porque autorizamos; pois a nossa preocupação tornou-se realidade, tantos foram os reparos, que perdemos por completo o ponto da pista, chegando ao domingo com a seguinte situação: reparo geral com grade e rastelo e início da prova pela categoria Aberta Júnior onde o próprio Ronildo, 10º e 28º a entrar em pista e outros competidores, infelizmente provaram do estado da pista. Após a Categoria aberta Sênior, foi realizado outro reparo com grade e rastelo, seguindo orientações da ABTB, fechando o domingo com uma média em torno de 58 passadas por reparo geral, e rastelo de 5 em 5 passadas.

Portanto Thomas, tenha a certeza de que não descansaremos até encontrar o ponto ideal da pista do Haras Raphaela, assim como tudo o que fazemos na busca incessante da qualidade e bem estar de todos .

Vale lembrar que o evento realizado uma semana antes pela ABTB não teve a orientação de reparos de 50 em 50 e apresentou um ótimo resultado da pista.

Obrigado pelas críticas, pois são elas que nos incentivam a melhorar ainda mais.

Abraços,

Roberto Ulhoa Canto

23/08/2010
Thomas Souza

Oi Jean



Voce tem um ponto. Mas acho que a pista e a melhor sim, o problema e que o manejo nao e bom. Infelizmente (e temos o mesmo problema na FNSL), estamos engatinhando na questao do manejo da pista. Nao temos o equipamento certo, as pessoas fazem tudo no chute e nao ouvimos as pessoas que conhecem de pista.



Pista boa e manejo. Ontem por exemplo, a pista estava horrivel para a Aberta Junior. Tanto e que essa categoria foi a mais disputada na classificatoria e ontem nao teve nenhum tempo expressivo (so um 17s4! 0 segundo melhor tempo foi 17s7). A pista foi melhorando, e estava boa ate o fim da Master ou algo assim. Depois foi piorando novamente porque o manejo nao existiu.



Nenhuma pista aguenta 100 passadas igual. E foi uma briga de proporcoes epicas explicar o porque de um reparo geral a cada 50 passadas nas classificatorias. E funcionou muito bem! Nas finais, esse reparo nao foi feito.



Outra questao que sempre falo - a pista tem que estar igual para todos numa final. E ontem com 20 cavalos correndo em cada categoria, o justo seria fazer o reparo de 3 em 3 porque os ultimos sempre se davam mal, escorregando, tropecando no buraco etc. Mas ninguem pensa nesses "pequenos" detalhes.



Enfim, nos da FNSL vamos trabalhar duro nisso. Prometemos uma pista igual para todos e vamos trabalhar para que o manejo da pista seja bom e cada vez melhor.



Dito isso tudo, ainda assim a pista da AR nao compara com Bauru, ou Avare ou qualquer outra pista do Brasil. Agora e fato tambem que a melhor Arena do Brasil merece ter o melhor manejo de pista do Brasil e isso nao e o caso. Mas tenho certeza que isso sera uma das prioridades da AR no futuro.



Abs



Thomas
23/08/2010
Jean

Pode ser a melhor estrutura, mas tds dizem nao ser a melhor pista, pois varias cavalos saem de la machucados, com dor, boletos inchados, pois dizem a pista ser mto dura, aquele 2 tambor ontem tv horrivel pelo visto, pois varios animais escorregavam uma pena!!!
O Blog (painel de notícias) da Fazenda Nossa Senhora de Lourdes é um espaço criado para a divulgação de informações e troca de idéias, permitindo, inclusive, a participação de terceiros por meio de comentários. A opinião expressa nos comentários reflete a opinião do autor e, não necessariamente, representa a opinião da FNSL. A Fazenda Nossa Senhora de Lourdes não se responsabiliza pelo teor destes comentários. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do visitante que enviá-lo, sendo o número IP, data e horário da postagem armazenados em nosso sistema.
Fazenda N. Sra. de Lourdes - Jaguariuna:(19) 3867-1226. (11) 3071-3866 | Fazenda Estrela do Sul - Uberaba:(11) 3071-3866 . (34) 9960-6172
Desenvolvido por Mercado de Cavalos