Linhagens - Umas Conversas Interessantes
18/12/2009
« Voltar

Na viagem aos EUA, mais uma coisa ficou evidente.

A total inversao do uso de linhagens no tambor. Por la, 90% do animais sao de linhagem de corrida e 10% de linhagem de boi ou boi com corrida. Por aqui e exatamente o inverso.

Falando com os competitores, criadores e proprietarios, achei interessante que todos falaram a mesma coisa. O uso de linhagem de boi para o tambor acabou na decada de 80! Isso sugere que estamos quase 30 anos atrasado por aqui! Assustador nao?

Desde de la, so se tem usado corrida. E o motivo e o mais obvio possivel - essa linhagem corre mais e a prova e contra e cronometro.

Tentei argumentar que por a pista ser menor por la que a linhagem de boi poderia ser mais competitiva por ser habilidosa na virada mesmo faltando canela. Que nada. Todos respondiam igual - "Thomas, olhe para os resultados e pare de se iludir." Argumentei tambem que o segundo melhor garanhao produtor hoje com alguma linhagem de boi, o Frenchmans Guy e a resposta era "ele e uma excecao, entre os 20 garanhoes de tambor hoje, ele e o unico de com algum sangue de boi, mas tem muita corrida nele..." Entao podemos concluir que ele e melhor exemplar do choque de corrida com trabalho por la hoje.

Argumentei ainda que o cavalo de boi seria mais apropriado para jovens e amadores. A resposta vinha na lata "Bobagem, mesmo os amadores e jovens querem ganhar, e para ganhar a linhagem preferencial e a de corrida. E achar que o cavalo de boi e mais docil, facil e tranquilo de se trabalhar nao se comprova nas pistas. Pelo menos por aqui, a maioria dos nossos jovens e amadores monta em cavalos de linhagem de corrida."

Uma pergunta que fiz a todos e porque nao vemos filhos do Corona Cartel nas pistas e de novo a resposta e a mais pragmatica possivel "Porque eles sao muito caros". E realmente faz sentido. Por la, o tambor usa o descarte da corrida e nao admite pagar muito mais que R$60,000 por um potro ou potra top de linha com linhagem Dash Ta Fame e uma boa mae. No leilao que vimos por exemplo, saiu uma bela potra Holland Ease com mae Special Effort por "apenas" R$17,000! Por sinal, nao vemos Holland Ease correndo tambor por la. Vemos sim filhos do seu irmao proprio o Brisco Country que esta no Brasil por sinal. Mas e so olhar os precos do leilao para se entender porque.

Vamos ver como nos aqui iremos fazer. Em 2-5 anos poderemos responder essa pergunta.







Comentários
» Enviar seu comentário


24/12/2009
Giuliana

Em minha opinião, um bom cavalo de tambor precisa reunir velocidade, habilidade e agilidade. A velocidade o cavalo de trabalho não possui, mas o cavalo de corrida sim! Já a habilidade e a agilidade é encontrada no cavalo de trabalho não no de corrida! Como essa três caracteristicas tem que estar reunidas no cavalo de tambor o modo mais facil de se conseguir um campeão é mesclando as linhagens.

Eu tenho em casa duas éguas de linhagem fechada em corrida, as duas são extremamente velozes mas não tem uma boa virada, o que acaba comprometendo o tempo no final. Tenho também um cavalo de trabalho, ele trabalha muito bem, mas não tem velocidade. Ano passado resolvi tirar embriões de uma delas, os potros nasceram esse ano uma em agosto e o outro em novembro, ambos os de garanhões de linhagem de trabalho hoje eu vejo os potros e acredito que acertei na escolha dos garanhões, qualquer um pode notar que são bons produtos, apenas observando eles brincarem nos piquetes. A outra égua esse ano cobrimos com o Top Firewater, será um produto fechado em corrida.

Thomas eu respeito a sua opinião, mas não concordo que um cavalo de linhagem 100% corrida seja a melhor opção, nem que um cavalo de linhagem 100% de trabalho seja uma boa opção. Mas um cavalo de 50% a 75% de corrida no sangue sim! Os cavalos de vcs são ótimos, tem um tamanho legal, no entanto minhas éguas são enormes, as duas tem 1,61m de cernelha. Elas também tem outros “defeitos” que me levam a pensar que a melhor opção é mesclar as linhagens. Eu não acho que o brasileiro deveria se deixar influenciar pelos americanos, apesar da raça QM ser americana. Eu acho que deveriamos montar nossa propria linhagem para o tambor e mostrar para o mundo o que temos de bom, pois temos cavalos bons. Importar cavalos é importante, mas “formar” nossos campeões com cavalos daqui também é!

23/12/2009
pessoas estranhas

eu acho q cada um compra a linhagem que quer... se vc acha q corrida é invensivel, compre para ganhar de todos, se vc acha q trabalho é invencivel compre também... cada um usa o seu sangue preferido...muitos cavalos corridas no brasil sao bons, mais ainda idolatro os de trabalho, sao passadas bem mais bonitas e muitas vezes da coro em corrida...

acho que cada um compra o seu sangue que acha q vai ser um campeao, se nao acreditar que seu cavalo nao sera um campeao ele nunca sera!
21/12/2009
André Ribeiro

Vejo que aqui foi demasiadamente valorizada a linhagem de corrida e que o descarte esta com preços, proibitivos. Aqui vemos alguns competidores que sobram talento mas em muios casos nao tem condições de ter animais competitivos, la é assim tb ou se tiver talento vai sempre ter um animal competitivo pra correr?
19/12/2009
Raquel Marques Gozetto

Concordo com o Carlos.

Podemos ser um pouco mais "tradicionais", porque antes o trabalho sempre prevalecia, mas isso não significa que estamos atrasados, mesmo porque tem muito "gringo" que é fascinado pelos nossos cavalos, que muitas vezes não são de corrida, e mesmo assim, fazem eles crescerem os olhos!

Seria legal sempre valorizarmos o que temos aqui no momento, inovando sempre, isso sem sombra de dúvida, mas não deixarmos nossos "astros" da linhagem de trabalho pra tras e nem desvaloriza-los. Mesmo porque eles trazem uma habilidade espetacular para os nossos produtos!

Feliz natal pra todos!

Abraços

Raquel Marques Gozetto
18/12/2009
Milton

Acho q. para baixar tempos não tem outra saida senão colocar corrida pesado. Os treinadores de lá falam q. em prova de 495 pés (oficial AQHA), um bom cavalo precisa andar em 17 segundos, isto é +ou- 3 pés a cada 1/10segundo. Infelizmente acho que as linhagens tupiniquins (Trouble TT, Shady Leo...) já chegaram no seu máximo....E não há como negar as estatísticas dos americanos, q. é o q. fazem muito bem.
18/12/2009
carlos

Realmente tem vários animais importados que são destaque nas diversas modalidades. O importante é ter em mente que não podemos desprezar as linhagens selecionadas no Brasil a vários anos. A entrada de animais novos ("sangue novo") é fundamental para qualquer raça do mundo. Nós temos uma vantagem em relação aos EUA. Como você mesmo disse eles dificilmente irão importar animais brasileiros. Já nós brasileiros não paramos de importar. Quantos foram os animais filhos do Dash Ta Fame importados só em 2009? Na rédeas e na apartação a importação das principais linhagens ganhadoras hoje nos EUA tambem são constantes, mas não há a mesma pressão do tambor que daqui para frente só os animais descendentes destes animais recentemente importados serão ganhadores. Chegam ao absurdo de importarem cavalos de corrida e dizem que são boas linhagens para vaquejada. Um esporte genuinamente brasileiro onde as principais provas oficializadas pela ABQM mostram que os resultados não são bem estes. Dizer que estamos atrasados na criação de quarto de milha em relação aos EUA é normal e verdadeiro, afinal eles são os criadores da raça. Acredito que os cavalos de corrida são tão bons quanto os de trabalho, afinal as principais linhagens de trabalho possuem sangue de corrida. Eles podem ir bem tambem para amadores e jovens, o que já é realidade aqui no Brasil. Precisamos selecionar não apenas velocidade, mas tambem temperamento. O nosso atraso não é apenas por usarmos esta ou aquela linhagem. Mas por diversos fatores nutrição, equipamentos, treinamento, premiação, tradição, recintos, marketing, etc. Vamos valorizar nossos cavalos, importar é preciso, mas não é a única solução. Devemos investir em bons cavalos independente da linhagem.
18/12/2009
Thomas Souza

Os gringos estao sem duvida de olho no nosso mercado - para vender muitos animais para ca! E como estao vendendo. No leilao que eu vi o leiloeiro chegava a dizer "esse pode ir para o Brasil pq tem pai e mae".

Porque exportar animais para la nao vai acontecer taoooooooooo cedo. Pelo menos na modalidade tambor...nas outras eu nao sei.



Sobre os tempos dos animais importados, e so ver o que alguns animais tem feito para provar voce errado. Miss Fortune Fools e um bom exemplo. A Twist Ta Fame e outro bom exemplo. Acho que nao e por ai. Tudo bem que talvez muitos que vieram nao sao top de linha por la e nem ganharam nada de grande valia. Mas ai e outro assunto.



Mas concordo que nem tudo que e de la e melhor. Mas nao podemos negar que o como o celeiro ou berço do QM e os EUA, que por la estao os melhores cavalos do mundo em quase toda ou toda as modalidades. E so ver como o pessoal da redeas, apartacao ou ate corrida importa animais com uma frequencia constante. No tambor isso so comecou a acontecer nos ultimos 2-3 anos.



Mesmo o Shady Leo na sua epoca foi cria de animais que em algum momento foram importados, como por exemplo o grande Shady Apollo Bars. Entao e natural que as linhagens se renovem no tempo via importacoes para dar um choque de sangue na tropa. Isso e bom para o QM brasileiro.
18/12/2009
carlos

Acredito que os cavalos e as linhagens utilizados no Brasil para 3 tambores não deixa nada a desejar às linhagens de corrida dos EUA. Isto é uma questão de mercado. Quanto aos tempos baixos por lá, é devido as pistas menores e melhores. Porque grandes cavalos de tambor com linhagem de corrida vindos de lá não repetem os tempos em nossas pistas e ficam atrás de nossos cavalos de trabalho? Eles não tiveram cavalos como Shady Leo, Líder, etc. Nós temos cavalos e cavaleiros competitivos em qualquer lugar do mundo. Precisamos parar de pensar que tudo lá fora é melhor que aqui. os gringos estão de olho em nosso mercado!!! Não podemos embarcar nesta onda. O Brasil precisa sim de bons cavalos, provados como produtores e não desta ou daquela linhagem.
18/12/2009
Marcelo Santos

Acho que os americamos tem razão, velocidade, é linhagem de corrida. O grande desafio é acertar bons garanhões e boas mães. Velocidade e agilidade este é o foco. Treinamento é fundamental, onde a iniciação de um potro é o grande desafio, ter paciência. Alguns dos menlhores treinadores do Brasil já me falaram, o grande problema de iniciar um potro é o dono, não tem paciência de esperar a hora certa. Mas apesar da distância de 30 anos, confio nos barsileiro, acho que nso proximos 4 a 8 anos teremos percorrido grande parte destes 30 anos. No mais abraço a todos e feliz natal.

Marcelo
O Blog (painel de notícias) da Fazenda Nossa Senhora de Lourdes é um espaço criado para a divulgação de informações e troca de idéias, permitindo, inclusive, a participação de terceiros por meio de comentários. A opinião expressa nos comentários reflete a opinião do autor e, não necessariamente, representa a opinião da FNSL. A Fazenda Nossa Senhora de Lourdes não se responsabiliza pelo teor destes comentários. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do visitante que enviá-lo, sendo o número IP, data e horário da postagem armazenados em nosso sistema.
Fazenda N. Sra. de Lourdes - Jaguariuna:(19) 3867-1226. (11) 3071-3866 | Fazenda Estrela do Sul - Uberaba:(11) 3071-3866 . (34) 9960-6172
Desenvolvido por Mercado de Cavalos