Estudo Rapido do B2B Muito Legal!
30/07/2009
« Voltar

Recebemos essa informacao dos nossos amigos do B2B Ranch e achamos legal dividir com os amigos do Blog.

______________________________________________________________________________________________________

Neste momento de quebra de record no Brasil dos 3T resolvi revisitar o que tem acontecido nos USA com os tempos e pedigrees

Um retrato muito interessante é o resultado do World Show da AQHA de 2008 , aberta Jr , com arena com as medidas oficiais - no coliseum do State Fair de Oklahoma City,OK



O Lance Graves foi o vencedor da aberta JR ,Famous Ed – 16,272 ((DASH TA FAME x RUBY NIC by REMINICS COWBOY) apesar de não ter feito o melhor tempo da final porque lá eles consideram o tempo da classificatória para a media final e ganha quem faz a melhor media.

O destaque , que não sei se é o record , ficou para o 2º colocado com o tempo de 15,997 na final e média de 33,119 montado por Kelly Yates de Pueblo, Colorado e animal Fire Water Flit , castrado.

Outras observações interessantes :

- Dos 15 finalistas da aberta JR e Sr., 99% sao machos castrados ou femeas sendo que a maioria absoluta são castrados.

- todos os finalistas ( 15 ) tem tempo de classificação na casa dos 16s

- o 9º colocado geral é uma filha de Designed Red , garanhão que pertence ao Armando Costa da Barrinha.

- no caso da baliza nossos tempos são no mesmo nivel deles 19s alto e 20s baixo.

- os pedigrees mais frequentes são : Dash Ta Fame, Fire Water Flit , e garanhoes filhos de First Down Dash ( Cash not Credit /Dash Ta Fame , etc..) e Frenchmans Guy

- O Frenchmans Guy é o único que tem Doc Bar no pedigree ( na realidade a parte superior do pedigree é todo de apartação ) a baixa corrida (TB - cavalo de corrida Ingles)



Todos estes dados estão disponiveis no site da AQHA , sites de treinadores (lance graves),sites dos garanhoes e criadores ( Jud Little ), etc..




Comentários
» Enviar seu comentário


05/08/2009
Abelardo Junior

Olá meus amigos esses assuntos que o carioca coloco em discução é muito interresente, e concordo com o Thomas temos que re-inventar a favor do esporte isso só tem a expandir.Quanto ao tamanho das pista não podemos ter medo de arriscá, eu so a favor sim de pista no formato dos EUA ou seja medidas menores, eu podi acompanhar isso la, isso vai ser muito bom para infra estrutura podendo ser em mais lugares as provas, quanto a treinamento melhor ainda assim,muitos cavalos teram mais chances.
05/08/2009
Thomas Souza

Carioca



Otima colocacao. Eu acredito em pegar o que funciona por la e aplicar aqui com algumas mudancas basicas.



Em relacao ao ranking por pontos ou por dinheiro eu acredito que deveria se fazer um em dinheiro que e a maneira mais clara e objetiva de medir a performance do animal no tempo. Mas infelizmente, fora a APTB, nao existe ninguem no Brasil que faca um levantamento disso de forma sistematica, e o banco de dados da ABQM e 100% confiavel entao... Mas ao mesmo tempo, como podemos comparar 1 ponto ganho num Nacional com 200 cavalos com um ponto ganho em Quixiramobim? Esse e na minha opiniao e o maior problema do sistema de pontos! Nos EUA NINGUEM que eu conheco se importa com pontos de RMT...ele so vale para aqueles poucos que querem correr o Mundial AQHA...



Sobre as pistas, tambem e um debate interessante. Talvez se saissimos do padrao, poderiamos ter mais arenas cobertas ou lugares ja que o custo seria bem menor de se cobrir uma area de 70m por 30m que 90m por 40m!



Acho que nao precisamos re-inventar o esporte. Precisamos sim usar o maior centro mundial do tambor, os EUA, como exemplo do que poderia ser feito aqui para melhorar o nosso esporte. Esse intercambio de ideias e fundamental. Por exemplo, nao faz muito tempo, faziamos o reparo com 15 passadas, hoje e dificil ver um reparo com mais que 7 passadas numa prova importante. Todos hoje entendem que a pista tem que ser igual para todos, mas 2-3 anos atras ninguem via isso. Outro ponto, dois tratores na pista para agilizar o reparo. Outro ponto a premiacao divisional. Outro ponto arenas cobertas. E por ai vai. E talvez o ponto mais importante - a linhagem certa para o tambor. Nos EUA cerca de 90% dos animais sao de linhagem de corrida, aqui e o inverso, ou seja cerca de 90% e de linhagem de trabalho. So nos ultimos 2-3 anos que isso comecou a mudar de forma mais clara com a importacao de animais com sangue de corrida para o tambor e e claro a quebra de recordes de tempo. Mesmo assim, muitos ainda tentam espalhar a falsa percepcao que cavalos de corrida nao servem para amadores e criancas, mesmo que os resultados digam exatamente o contrario - e so ver o caso da Gabi Ferro, da Jacqueline, da Roberta Biondi e por ai vai!



Eu nao tenho duvida que os EUA e muito mais avancado que nos nos tres tambores, ou na corrida ou na apartacao. Negar isso e nao querer melhorar, evoluir e se desenvolver. Nao precisamos fazer tudo que eles fazem, mas precisamos entender pq eles fazem e qual o resultado. Um tabu que ainda precisa ser quebrado e dos tratores dentro da pista por aqui. Um dia veremos com certeza os tratores dentro da pista, logico em um canto seguro da pista. Isso agiliza muito a prova. Mas por enquanto o argumento e que traz mais risco aos participantes que beneficios. Apesar de afirmar com alguma tranquilidade que a chance de um acidente ocorrer e minima, diria algo muito menor que 1%, os criticos argumentam que esse ainda e um risco muito grande de se correr...ate concordo que nas categorias jovens, mas nas

Abertas nao.



Sobre o lancamento dos Fatos, uma coisa que temos que fazer mais e informar melhor e com mais clareza. Questionar sim, mas nao ridicularizar. Concordo com o Heleno que a maioria absoluta das pistas por la sao menores, pq ninguem se importa em correr AQHA e sim em ganhar premios para poder pagar as contas e valorizar as linhagens. Mas isso nao quer dizer que nao se tenha informacoes sobre os tempos mais baixos em pista de padrao AQHA ou ABQM - ja colocamos isso no Blog e se quiser e so ligar ou mandar um email para a AQHA.



Enfim, cada um tem uma opiniao sobre este assunto e acho muito bom o debate.
05/08/2009
carioca

Pergunto, o que devemos fazer ou acreditar aqui no brasil?

Seguir as nossas normas dirigidas pela abqm com a nossa realidade, correndo atras de pontos, de pistas com tamanho padronizado ou se espelhar nos USA se a nossa realidade é outra?

Pontos ou quantias?

Pistas padronizadas ou cada prova com seu tamanho?

Porque não pegamos deles o que há de bom e adaptamos para nossa realidade?

Onde os criadores, proprietarios e competidores querem chegar?

Porque enchemos tanto a bola dos americanos se talvez estamos fazendo um trabalho tao bom quanto eles?

Já não sei em que acreditar, por que lançam uma noticia sem a certeza do fato(medidas de pistas)?

obrigado.
04/08/2009
Josué Cabral

Muito bom ouvir um comentário de gente que entende do assunto como Thomas e Sr. Heleno, pessoas que já foram várias vezes até lá e viram como é de verdade.

Principalmente para todos do Brasil saberem diferenciar um marketing enganoso de uma informação decente como este site nos traz, garanhão que vendeu muita cobertura no Brasil e que conta papo de 16, se der 17 alto no Brasil com aquelas passadinhas empaletadas erga a mão pro céu!!!

Valeu pela honestidade e verdade,

É disso que o tambor precisa!!!

04/08/2009
Thomas Souza

Heleno



Existe uma Arena que tem as dimensoes necessarias em Oklahoma mas eu esqueco o nome dela. Mas voce esta certo, na maioria dos casos as arenas sao menores.



Abs



Thomas



04/08/2009
heleno lima

Gente. As pistas indoors nos USA são menores. Isto é um fato. Não existe possibilidade de se usar em uma Arena fechada o tipo de pista com as dimensões adotadas pela ABQM. No Calgary Stampede, rodeio Outdoor, de verão, onde correm as melhores cavaleiras do Mundo e os melhores cavalos, premiação de 100.000 Can$ para o primeiro lugar, os tempos giram na casa de 17,5 a 17,2. Alí a pista é como a nossa. Ora, se tivessem cavalos correndo a 15 ou 16 baixo em uma pista ABQM, estariam lá disputando os cem mil dolares. Elementar.

O que acontece nos USA e Canada é que existem um numero muito grande de cavalos correndo 17 baixo, mas somente vão para os grandes rodeios e as Provas abertas os mais "consistentes". Aqui no Brasil temos alguns cavalos muito bons sob este aspecto. Mas são poucos. Esta sim é a plavra chave em Tambor. Os cavalos teem que ser velozes e habilidosos, mas, sobretudo, "consistentes". Recordes são efemeros e variam muito em relação a local, dia e tempo. Nosso esporte não é puramente correr. Portanto, sob este aspecto tem-se que desenvolver os treinamentos com a devida escolha dos animais. . Heleno
03/08/2009
Thomas Souza

Renato



La diferente daqui, os competidores nao estao nem ai para a AQHA do ponto de vista de provas. A AQHA e seu registro de merito e irrelevante para o esporte em si, obviamente nao para o stud book etc. Nos EUA oque importa e quanto um cavalo ganha de dinheiro, assim como e na corrida por aqui. La cada arena tem um tamanho e em sua maioria sao menores que o tamanho padrao das pistas por aqui. Por isso nos EUA os recordes sao por arena.



Dito isso a AQHA tem nos seus bancos de dados os tempos mais rapidos do seu Wolrd Show que na maioria dos casos e corrido em pista com tamanho padrao.



Mas como o Joao Ricardo disse e eu concordo, acredito que o tamanho da Arena no ultimo World Show foi menor. Estou esperando uma confirmacao deles.



O World Show conta com pouquissimas inscricoes no tambor para cavalos que atingem um certo numero de pontos (se nao me engano algo como na casa dos 20-50 pts durante o ano de competicao.



Abs



Thomas
02/08/2009
Renato

Mais o tempo no EUA nao são mais baixo por causa das pistas mais curtas de lá?

E se essa duvida que tenho do tamanho das pistas de la for verdadeira estamos bem na frente dos americanos nao atras como todos acham...caso eu esteja errado me desculpe pois entrei no meio do tambor a pouco tempo

02/08/2009
joao ricardo

Creio q as medidas DESTA PISTA ( State Fair de Oklahoma City,OK) nao sao as mesma praticadas aquii no Brasil. Já vi os vídeos do lance graves com Famous Ed e tb com a twist ta fame que com esta ele correu na casa dos

15.500 segundos nesta pista. Outro fato q me leva a acreditar nisso sao os tempos que os potros fizeram em dezembro do ano passado na prova da barrel futurities of america nesse mesmo local, so para se ter uma idéia os 15 primeiros colocados na primeira classificatória correram na casa dos 15 segundos, tento o menor tempo de 15.245 segundos( Troy Crumrine)

Agora sem duvida, todas as demais observações nesta noticia são de grande valor pra nos.

30/07/2009
Martha Herweg

É realmente difícil de acreditar que os cavalos fazem esses tempo (16.2...15s) no tambor com uma pista nas mesmas medidas da ABQM, as vezes a pista oficial da AQHA é menor que a da ABQM. Até porque os tempos da Baliza são compatíveis com os daqui, ou seja, os cavalos de lá não são TÃO diferentes assim dos do Brasil.



Como exemplo podemos pegar as provas da NBHA que diminuíram as pistas daqui para igualar aos tempos de lá, embora a NBHA não seja da AQHA.



Thomas, obrigado por essas informações internacionais!
30/07/2009
Thomas Souza

Eu suspeito que nao - algo esta estranho nisso - comentei sobre isso em Dez/2008 nesse Blog. Perguntei a AQHA, vamos ver oque eles dizem...

Abs



Thomas
30/07/2009
Rafa Simões

Isso realmente esta correto ??? 16,2...15,9 é isso mesmo ??????? a mesma medida daqui ????????????
O Blog (painel de notícias) da Fazenda Nossa Senhora de Lourdes é um espaço criado para a divulgação de informações e troca de idéias, permitindo, inclusive, a participação de terceiros por meio de comentários. A opinião expressa nos comentários reflete a opinião do autor e, não necessariamente, representa a opinião da FNSL. A Fazenda Nossa Senhora de Lourdes não se responsabiliza pelo teor destes comentários. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do visitante que enviá-lo, sendo o número IP, data e horário da postagem armazenados em nosso sistema.
Fazenda N. Sra. de Lourdes - Jaguariuna:(19) 3867-1226. (11) 3071-3866 | Fazenda Estrela do Sul - Uberaba:(11) 3071-3866 . (34) 9960-6172
Desenvolvido por Mercado de Cavalos